Conteúdo: Sua empresa sabe gerar?

Tempo de leitura: 3 minutos

Todas as marcas querem estar na internet e nas mídias sociais; gerar visibilidade, engajar o público, viralizar seu conteúdo. Mas o fato é: poucas sabem como fazer.

O conteúdo que sua empresa joga na rede deve ser criteriosamente pensado, selecionado, tratado. Caso contrário, o resultado pode ser catastrófico.

Há algum tempo, tivemos um exemplo disso. Uma dupla sertaneja lançou o videoclipe de uma música que narra uma história da chamada pornografia de vingança (revenge porn):

Eu vou jogar na internet, nem que você me processe
Eu quero ver a sua cara quando alguém te mostrar
Quero ver você dizer que não me conhece

Os artistas quiseram retratar uma triste realidade cada vez mais comum, de mulheres que são humilhadas após terem vídeos íntimos divulgados pelos parceiros. Na tentativa de engajar o público em um tema que vêm sendo amplamente discutido, o resultado já era de se esperar: a dupla foi muito criticada nas redes sociais por ter “enaltecido” uma crime tão cruel. A reação foi tamanha que os obrigou a apagarem a postagem, a fanpage, fecharem o canal do YouTube e até mesmo tirarem seu site oficial do ar.

Rever a estratégia de marketing é o mínimo que devem fazer. É preciso entender que nem sempre os assuntos que estão “em alta” merecem ser retratados dessa forma e que há um limite para a irreverência. É preciso bastante cuidado!

Conteúdo e engajamento

Para que o conteúdo gere engajamento, é preciso que seja relevante para o público! E como saber se é relevante? Estude e conheça seu target, entenda seus valores, comportamentos, motivações. Procure fazer sempre um link do conteúdo com a sua marca, senão não vai conseguir seu objetivo: fortalecer a presença na web. Afinal, de que adianta um post com muitos likes se ninguém sabe de que empresa é? Ou se não tem relação nenhuma com a marca?

Assuntos que estão sendo amplamente discutidos na rede podem ser abordados, se sua empresa tiver algum tipo de “ligação” com o tema. Por exemplo: é interessante que uma empresa de consultoria jurídica aborde temas como corrupção e até mesmo a aprovação de leis. Mas cuidado com as polêmicas!

Polêmicas

É preciso bastante cuidado para tratar de assuntos polêmicos. Futebol, religião e política (por exemplo) são temas que atraem a atenção do público mas, se dependendo da forma que são abordados, podem repercutir negativamente.

Só fale do tema se tiver embasamento técnico e procure não fazer juízo de valor. Exemplos? Se for falar de futebol, procure analisar esquema tático, desempenho, entrosamento e não sua paixão por um time em específico. A não ser que seja a rede social de um time!

Outro exemplo: se for discutir a aprovação de uma lei, aborde os prós e contras e tente ser imparcial; deixe que seu público “tome partido”, e não sua marca. Lembre-se: sua empresa é uma pessoa jurídica independente e não precisa expressar a sua opinião pessoal.

Linguagem

Na hora de gerar posts, lembre-se: a linguagem é tão importante quanto o que está sendo “dito”! Redes sociais permitem uma linguagem mais pessoal, leve, dinâmica e até engraçada. Não seja muito formal! Mas, dependendo do segmento, fique atento para não exagerar em gírias, figuras de linguagem e abreviações.

Metas e objetivos

Todas as ações e postagens em redes sociais precisam contribuir para que uma meta seja alcançada. Então, antes de começar a postar desenfreadamente, pense: aonde quer chegar? Qual o objetivo da sua empresa: ser mais um canal de relacionamento com público? Vender? Gerar acessos ao site? Fortalecer a marca?

Depois de estabelecer um norte, faça um plano de postagens e consulte-o sempre que necessário.

Compartilhe esse conteúdo!