Remarketing: o que é, como funciona e quais as vantagens?

Tempo de leitura: 4 minutos
Mãos selecionando em tablet ícones vetorizados de pessoas como alvos para fazer remarketing.

Conheça tudo sobre remarketing e entenda como aplicá-lo na sua estratégia para gerar mais vendas!

É muito provável que seu site ou landing page recebam visitas constantes de usuários das mais diversas origens: campanhas no Google Ads, busca orgânica, Google Meu Negócio, redes sociais, tráfego direto. Pelo Analytics, é possível mensurar, inclusive, o número exato de acessos e os caminhos que os usuários fazem em seu site – onde clicam, em quais páginas navegam, qual o tempo ficam em cada página, dentre outras métricas. Quando uma pessoa chega até uma página de conversão ou venda, são grandes a chances de ela já ter interesse na oferta que aquele conteúdo apresenta, concorda? Mas, e quando esse usuário não conclui essa ação esperada, o que fazer? É aí que o remarketing entra em ação!

Com o remarketing, você consegue ir ao encontro desses usuários e relembrá-los daquela proposta que ele chegou tão perto de aproveitar, ou de uma solução que ele considerou contratar. Já pensou no impacto que isso pode ter nas suas vendas, e no seu ROI?

Confira a seguir tudo que você precisa saber para implementar essa estratégia certeira que é o remarketing!

O que é remarketing?

Remarketing é um tipo de ação cada vez mais difundido no meio digital. Ele consiste em “marcar” o usuário que visita determinada página de produto, serviço ou qualquer outra página de um website. A partir do momento em que o usuário é marcado, o sistema passa a exibir anúncios relacionados com o conteúdo que ele acabou de visitar.

Esses anúncios podem ser aplicados em:

  • redes de display: aparecem em sites em geral, como portais de notícias e blogs;
  • redes de pesquisa: aparecerem no topo dos resultados de busca no Google, por exemplo;
  • redes sociais: aparecem na barra lateral ou no feed de notícias.

Criado e oferecido pela primeira vez pelo Google Ads, o remarketing é uma estratégia essencial. Ele pode ser utilizado não só para “re-divulgar” produtos de um e-commerce para um usuário que já tenha demonstrado interesse por ele, como também para divulgar produtos e serviços relacionados. Ele também é uma boa abordagem para divulgar a própria marca.

Afinal, nem todo usuário que acessa o seu site pela primeira vez, abre uma página de um serviço específica ou visita sua landing page está, de fato, preparado para realizar uma ação de compra, solicitar um orçamento ou converter em lead. Atingir a rotina dessas pessoas com o remarketing é uma forma de impactá-la de forma customizada. Ou seja, é fazer com que a sua marca, produto ou serviço esteja sempre entre as principais opções na mente dela, até que ela realiza a ação esperada.

Como o remarketing funciona na prática?

Vamos supor que você tenha uma empresa de consultoria e uma das suas especialidades seja imigração para os Estados Unidos. Para atrair leads qualificados, você cria uma landing page e realiza uma campanha de links patrocinados no Google Ads, com opção de remarketing.

Então, um usuário qualquer procura por “imigração legal para os Estados Unidos”, navega, clica no seu anúncio e é redirecionado para a sua landing page. Nesse momento, por meio de um código especial (fornecido pelo Google Ads ou pelo Pixel do Facebook), o usuário recebe um “cookie”. Ou seja, um pequeno e, na maioria das vezes, inofensivo arquivo utilizado desde os primórdios da web. Pronto! Esse usuário já está marcado como interessado em seus produtos e como um potencial cliente!

A partir desse momento, ele passa a visualizar anúncios dos serviços de consultoria da sua empresa ou serviços relacionados. Ele vai ser impactado com anúncios nos sites e blogs da rede de display do Google (que fazem parte do AdSense) ou no Facebook. Ou seja: se ele sai de seu site e acessa um portal de notícias, por exemplo, e pode visualizar um banner com seus produtos em algum lugar de destaque.

Por que apostar nessa estratégia?

À primeira vista, o remarketing pode parecer uma forma de “perseguir” o usuário que interagiu com a sua marca. Porém, como já esclarecemos, o principal ponto de impacto da estratégia de remarketing é trazer de volta aquele lead ou potencial cliente que, por algum motivo, chegou perto de converter ou comprar mas não o fez.

Os anúncios de remarketing podem ser feitos com diferentes focos, e também podem proporcionar benefícios e vantagens para os usuários. Eles podem ser realizados, por exemplo, com o objetivo de:

  • conscientizar o usuário ressaltando os diferenciais competitivos da sua oferta;
  • incentivar o usuário a sair do estágio de “consideração” oferecendo uma oportunidade exclusiva, como um brinde ou desconto;
  • facilitar o “re-acesso” ao formulário de conversão;
  • fidelizar um cliente que efetuou uma compra oferecendo uma nova oferta.

Quando bem realizado, o remarketing altera a suas taxas de conversão de forma muito positiva! Afinal, o cliente impactado com essas ações é um potencial cliente que demonstra grande interesse pela sua oferta e está prestes a tomar uma decisão. É de extrema importância que ele seja sempre lembrado da existência de sua empresa e de seu produto para aumentar as chances de ele fechar negócio!

Além de aumentar a conversão e as vendas, as ações de remarketing têm custo muito baixo quando comparadas com os resultados que elas trazem, garantindo um ROI bastante positivo!

Agora que você já entendeu como funciona o remarketing, você está pronto para colocá-lo em prática e aumentar suas conversões e vendas. Quer continuar se aprofundando nas formas de impactar o comportamento e as decisões de compra dos seus potenciais clientes? Conheça agora mesmo a estratégia de Funil de Vendas, uma outra grande tendência do Marketing Digital!

Compartilhe esse conteúdo!