Design Thinking : Como essa estratégia pode ser usada no marketing?

Tempo de leitura: 6 minutos
design-thinking

Inovação é um poderoso meio para se diferenciar no mercado e gerar vantagem competitiva; ela ajuda a tornar os produtos e serviços mais interessantes perante os concorrentes, além de agregar valor à marca. 

O Design Thinking é uma das técnicas que favorecem a inovação, e pode auxiliar os empreendedores nessa missão de inovar, se destacar em sua área de atuação e gerar valor para o cliente.

Sabemos que, nos últimos anos, há uma tendência para a adoção de estratégias que tenham foco no consumidor. Estes estão cada vez mais exigentes, com demandas cada vez mais específicas, o que acaba sendo desafiador para as empresas. Mas direcionar os esforços para compreender, atender e encantar o público-alvo, investindo em soluções personalizadas, é o primeiro passo para a inovação e também para o sucesso organizacional.

Os métodos focados em inovação se popularizaram entre os empreendedores, principalmente no segmento das startups e até de coworking pequeno. Um detalhe importante é que os conceitos inovadores podem ser aplicados em diversas áreas.

Entenda agora como um desses métodos, o Design Thinking, pode ser aplicado ao marketing.

O que é Design Thinking?

Design Thinking é uma forma de abordagem originada na área de design e adaptada às empresas e corporações. O termo significa “pensamento do design” ou “pensar como um designer”. 

No livro Design de Negócios, da Editora Campus Elsevier, Martin escreve que “trata-se de uma disciplina que usa a sensibilidade e os métodos do designer para suprir as necessidades das pessoas com o que é tecnologicamente factível, e recorre ao que uma estratégia de negócios viável pode converter em valor para o cliente e oportunidade de mercado”.

Resumidamente, se trata de uma abordagem que não possui uma fórmula específica para ser implementada, porém, cria condições essenciais para a criação de insights e a aplicação destes na rotina de trabalho ou venda de produtos, na prática.

A grande ideia do Design Thinking é tornar os processos executáveis de modo colaborativo e qualitativo, permitindo reunir o máximo de colaboradores da empresa com perspectivas diferentes e, com isso, fornecer diversas possibilidades de aplicações das ideias e ideias mais completas.

No ambiente empresarial, o Design Thinking é utilizado para facilitar a implementação de soluções para inúmeros problemas, não importa o nível. 

Outra possibilidade para este conceito é ser inserido nos processos criativos de novos produtos e serviços.

Etapas importantes no Design Thinking

Procedimentos que visam a solução de problemas e estimulam a criatividade possuem algumas etapas que permitem que os funcionários tenham mais entendimento sobre o caso, facilitando a rotina de trabalho.

Essas etapas podem ser implementadas em diversas atividades, desde um conserto de ar condicionado em BH, até em tarefas relacionadas à tecnologia. Independentemente da área, os processos são divididos em quatro etapas:

  1. Imersão

Nesta etapa, os profissionais precisam mergulhar nos principais assuntos da empresa para compreenderem os problemas, já que ao entender os processos e gargalos, é mais fácil saber a origem do contratempo e ajustá-lo.

Uma dica interessante para ter maior entendimento sobre esses processos é se colocar no lugar do seu cliente. Criar entrevistas e pesquisas, por exemplo, são ações que podem ajudar a obter dados relevantes para esta fase.

Com estes recursos, os designers têm mais oportunidades de conhecer melhor o perfil do cliente e, assim, se aprofundar mais nos casos. 

Um detalhe interessante são os feedbacks, os famosos retornos que abrem possibilidades de pensar em soluções e entender se o item está tendo a resposta esperada na base de cliente. Isto posto, o olhar empático faz toda diferença e pode ser um fator decisivo na etapa de imersão.

  1. Ideação

Concluída a etapa imersiva, é necessário começar a ideação. Após as considerações dos principais pontos que precisam de melhorias, a equipe pode iniciar a elaboração de ideias para o que necessita de mudanças.

No processo de ideação, o compartilhamento das ideias é algo que beneficia o surgimento de soluções criativas para a empresa. 

Diferentes visões sobre os produtos e serviços da companhia, priorizando sempre a satisfação dos consumidores são maneiras de obter resultados promissores, e quanto mais visões distintas mais opções de soluções – ou implementação da ideia principal – podem ocorrer.

O Design Thinking permite que as reuniões aconteçam com funcionários de diferentes setores, algo que torna o processo das ideias mais enriquecedor para ambas as partes.

Afinal, a empresa terá excelentes soluções, e os funcionários terão mais uma experiência de aprendizagem e troca.

  1. Prototipação

Após reunir o maior número de ideias, os profissionais precisam fazer uma separação do que pode ou não dar certo, estimando os possíveis resultados e soluções mais efetivas.

Para reduzir os índices de retrabalho e falhas, os investimentos em prototipação são uma ótima alternativa.

Com os protótipos de caixa térmica para vender picolé, por exemplo, é possível ver o que tem chance de sucesso e o que precisa ser melhorado antes de partir para a execução e criação do produto.

O protótipo é uma etapa importante e consegue ajudar muito as empresas a melhorarem as suas mercadorias antes da produção final.

Serviços também podem ter protótipos ou realizados em versões de teste. Diferentemente dos produtos, um protótipo de serviço possui representação gráfica, além de ser mais abstrato. 

Sendo assim, uma impressão de livros sob demanda SP, por exemplo, pode ter alguns testes antes de entrar em fase final de execução.

Ter conhecimento a respeito da melhor versão do seu produto ou serviço é o caminho para oferecer uma excelente experiência para os clientes e ter resultados otimizados ao lançar a versão final para venda.

  1. Desenvolvimento

Considerada a última etapa do Design Thinking, o desenvolvimento consiste em colocar tudo que foi pensado nas etapas anteriores em prática.

Neste momento, apostar no poder da comunicação e do marketing é crucial para despertar curiosidade nas pessoas para conhecer mais sobre a empresa. 

Design Thinking no Marketing

O Design Thinking e o Marketing são conceitos que podem ser utilizados em conjunto para melhorar os processos em agências e empresas, gerando resultados benéficos e campanhas mais acertadas.

Inclusive, o fato do Design Thinking poder ser aplicado em diversas áreas é algo que pode facilitar os processos de marketing nas empresas de TI em Recife e em diversos lugares, sendo uma estratégia efetiva para diferentes empreendimentos.

Como o design pode se relacionar com Marketing?

O marketing está diretamente ligado aos processos de descobertas e satisfação das necessidades dos consumidores, visando a geração de valor e a criação de boas relações entre cliente e empresa. 

Sendo assim, o conceito é baseado em análises estratégicas de ambiente e na resolução de problemas.

As organizações estão sempre buscando novas maneiras de diminuir custos, atrair novos clientes e desenvolver produtos e serviços de qualidade. 

Estas ações podem acontecer quando os colaboradores pensam diferente, o famoso “fora da caixa”, estando sempre atentos às mudanças do mercado, sem perder o foco na objetividade e tarefas-fim. 

A mesma postura é necessária em gestores e empreendedores, mas principalmente nas equipes estratégicas e de marketing.

Para tornar o processo mais simples, o Design Thinking pode ajudar, graças às etapas de prototipagem e validação de dados, transformando a experiência do cliente na melhor possível.

Aplicações práticas do Design Thinking e Marketing

Ao conhecer bem os dois conceitos, os profissionais podem iniciar um processo de aplicação dos processos e estratégias de modo que beneficie a empresa. Alguns exemplos práticos são:

  1. Branding

A construção da imagem de uma empresa é um processo muito importante, pois as escolhas feitas nesta fase podem determinar e facilitar a identificação do segmento e atuação da marca, também garantindo o sucesso e a longevidade da empresa. 

Considerando que a marca é feita para se relacionar com as pessoas, ou seja, ter ideias que atendam as expectativas dos clientes e proporcionar boas experiências com produtos/serviços, ter uma identidade clara é uma forma de criar um relacionamento interessante entre cliente e empresa.

Neste processo, uma das essências do Design Thinking, a empatia pode ajudar muito na criação do branding de uma dedetizadora recreio RJ.

  1. Produção de conteúdo

A criação de conteúdo precisa ser direcionada ao público-alvo para proporcionar resultados positivos. 

Deste modo, a linguagem precisa ser adequada para os clientes que a empresa quer conquistar.

Para obter ganhos interessantes, os profissionais podem utilizar a etapa de ideação para identificar e definir o público-alvo, bem como para testar formatos e materiais que melhor respondem aos usuários.

  1. UX Writing 

Este é um processo que consiste em elaborar mensagens que otimizam a experiência do usuário de um aplicativo, site ou programa. 

O objetivo desta estratégia é ajudar em uma construção positiva entre marca e cliente.

Trabalhando bem o conceito de empatia e da identificação das necessidades importantes no Design Thinking, pode-se otimizar as estratégias de marketing e assim melhorar serviços, como o de locação de impressoras.

  1. Processos de trabalho

O crescimento da internet promoveu grandes mudanças e uma delas está relacionada à colaboratividade. 

Diversas empresas ao redor do mundo tem investido na diversidade de perfis, ou seja, pessoas curiosas e dispostas a exercer a sua veia criativa.

Com isso, é possível conquistar excelentes resultados, além de ter mais chances de criar equipes diversificadas que podem proporcionar soluções inovadoras que podem ser usadas no Design Thinking.

Vantagens do Design Thinking no Marketing Digital

Inserir o conceito do Design Thinking no planejamento de marketing é uma maneira de tornar os processos produtivos mais eficientes, além de agregar benefícios como:

  • Melhorias no endomarketing;
  • Estratégias e ações personalizadas;
  • Possibilita a produção de um conteúdo relevante;
  • Possibilita ter um Branding de excelência;
  • Proporciona experiências positivas;
  • Permite encantar os clientes.

Estes são alguns dos pontos positivos que o Design Thinking e o Marketing podem proporcionar aos negócios quando trabalhados em conjunto.

Portanto, utilizar o Design Thinking é uma maneira de solucionar problemas com praticidade e tomar decisões mais acertadas e embasadas (após avaliações de soluções e custos). 

Assim os empreendedores podem melhorar a credibilidade do seu negócio, conquistar novos clientes e se tornar uma referência no segmento de atuação.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe esse conteúdo!